Coconut

Cocos nucifera

O coco é o fruto de uma palmeira encontrada nos trópicos. O coco atende a muitas necessidades humanas, incluindo alimento, bebida e material de construção. Sua capacidade de sobreviver por longos períodos da água do mar e seu valor para os antigos navegadores resultou em sua ampla dispersão. Os coqueiros são frequentemente classificados de acordo com seus hábitos de reprodução. Cerca de 5% dos coqueiros cultivados no mundo são "anões" autopolinizados enquanto o restante são os "altos" cruzados mais comuns.

Ocorreram provavelmente duas domesticações independentes de coco: uma na ilha Sudeste Asiático (bacia do Pacífico) e a outra às margens sul do subcontinente Indiano (bacia Indo-atlântica). Os tipos “Niu vai” com frutos arredondados e grande conteúdo de água de coco existiam somente na bacia do Pacífico. Em cerca de 2.250 AP, navegadores austronesos provavelmente trouxeram o coco das Filipinas para a costa do Pacífico da América do Sul. Entre os séculos V e VII, austronesos e árabes dispersaram cocos da bacia do Pacífico pela costa sul da África, Comores e Madagáscar.

O Genesys lista 1168 acesssões de coco1. A maior parte desses (86%) estão em bancos de germoplasma de campo no Estação de Pesquisa Marc Delorme na Costa do Marfim, uma coleção do Artigo 15, e o restante nos EUA. Cerca de 43% são variedades tradicionais e raças locais e 40% são cultivares melhoradas. Pesquisas com a criopreservação do coco  continua e promete mas ainda não é comum.

Para atingir a conservação racional dos recursos genéticos do coco, a estratégia global para o Cocos nucifera prioriza as seguintes ações: realizar mais missões de coleta para cobrir as lacunas de conservação, caracterizar acessões de germoplasma existentes, melhorar os sistemas de documentação e aumentar a colaboração entre membros da International Coconut Genetic Resources Network (COGENT).

Informações gerais

Tamanho das coleções de bancos de germoplasma

Outros nomes aceitáveis

Regras taxonômicas