Coffee

Coffea spp.

Depois do petróleo, o café é a segunda commodity mais comercializada no mundo. Todos os dias, mais de 2,25 bilhões de xícaras de café são consumidas globalmente. Brasil, Vietnã, Colômbia, Indonésia e Etiópia são os cinco maiores produtores de café. Os países exportadores consomem cerca de 30% da produção total, o restante é consumido pelos países importadores. Duas espécies de Coffea são as mais cultivadas: C. arabica (ou café Arábica) e a C. canephora (café Robusta). A anterior é cultivada na América Central e do Sul, África Oriental, Sudoeste e Sul da Ásia; a última é produzida no Brasil, África Ocidental, Madagascar e Vietnã. Cerca de 64% do café produzido no mundo é o Arábica. Outras espécies Coffea são cultivadas em menor escala, incluindo C. liberica, C. dewevrei e C. stenophylla. O café é uma importante fonte de renda para mais 25 milhões de famílias no mundo todo. Graças ao seu valor, ele tem um papel vital na economia de vários países.

O C. arabica é um híbrido entre C. canephora e o C. eugenioides. O café Arábica é nativo das florestas úmidas do sul da Etiópia, sul do Sudão e provavelmente Quênia. É uma cultura relativamente recente. O registro mais antigo documentando do seu uso é de 1500 anos atrás. Acredita-se que o café foi levado para a África do Yemen no século VI. Marco Polo é considerado responsável por trazer café de Mocha (Yemen) para Veneza nos anos 1270s. Em 1616, a um grupo de agricultores holandeses começou a cultivar café no Jardim Botânico de Leiden na Holanda. Dali, eles espalharam a planta para Malabar (Índia) e Batavia (atual Indonésia). Em 1720, um francês plantou uma única muda de café na Martinica, e mais tarde espalhou a planta nas Índias Ocidentais, América Central e do Sul e Sri Lanka.

OC. canephora é originário das florestas da África tropical, incluindo áreas de Camarões e norte da Tanzânia. Seu cultivo data do final do século XIX, e a planta ainda não foi exposta a um gargalo genético tão forte como o Arábica. Assim, tem mais diversidade genética e é uma importante fonte de características para melhorias do café Robusta e do Arábica.

A The Global Conservation Strategy for Coffee Genetic Resources identificou recentemente 21.026 acessões de café mantidas em várias coleções de bancos de genes. Quase 60% das acessões relatadas são C. arabica, depois 3% de C. canephora e os 37% restantes de outras espécies de Coffea. Bancos de genes da África concentram seus esforços de conservação em materiais selvagens, e os da América Latina, deram ênfase a materiais de melhoria. O Genesys mostra informações sobre acessões de café no Centro Agronómico Tropical de Investigación y Enseñanza (CATIE), o único que contém material disponível sob o Artigo 15 do Plant Treaty.

Informações gerais

Tamanho das coleções de bancos de germoplasma

Outros nomes aceitáveis

coffee