Beans

Phaseolus spp.

Feijões do gênero Phaseolus são uma importante fonte de proteína para muitas pessoas no mundo todo. Na África subsaariana, mais de 200 milhões de pessoas tem feijões como base da alimentação. Feijões são cultivados por suas folhas verdes (que servem para a alimentação animal), suas vagens e sementes imaturas e por suas sementes secas (nutritivas e de fácil armazenamento) que são seu principal produto final.

O gênero Phaseolus tem uma história evolutiva e de domesticação única. Ele contém cinco espécies domesticadas: . P. vulgaris (feijão-comum), P. coccineus (feijão-ayocote), P. lunatus (feijão-fava ou feijão-lima), P. acutifolius (feijão-tepari) and P. dumosus (feijão-acalete); as quais são resultado de sete domesticações, sendo que P. vulgaris e P. lunatus provavelmente passaram por duas domesticações independentes.

P. vulgaris é uma das leguminosas mais importantes economicamente no mundo. Essa espécie provavelmente se originou na região central do México, e dispersou-se para a América do Sul antes de ser domesticada. Como resultado, o conjunto gênico dos Andes passou por um gargalo genético precoce. São reconhecidos três conjuntos gênicos silvestres para o feijão-comum: o Mesoamericano, o Andino e o do norte do Peru - Equador. Na Mesoamérica, o feijão-comum foi provavelmente domesticado no Vale Oaxaca. Esta hipótese é sustentada por restos arqueológicos de feijão de 2100 - 2300 anos atrás. A localização geográfica da domesticação andina ainda é contestada (dois locais candidatos são o sul do Peru ou sul da Bolívia e o norte da Argentina). O feijão-comum, junto com o miho e a abóbora (Cucurbita pepo), constituem as "três irmãs", culturas que foram fundamentais para o desenvolvimento das comunidades pré-colombianas na Mesoamérica.

O Genesys lista quase 117.000 acessos de Phaseolus: 86%P. vulgaris, 4% P. coccineus, 6% P. lunatus, 1% P. acutifolius e 0,5% P. dumosus. Cerca de 65% dos acessos são cultivares ou variedades tradicionais, com 15% de cultivares melhoradas e 3% de parentes silvestres. O Centro Internacional de Agricultura Tropical (CIAT) detém a maior coleção de Phaseolus, com quase 40.000 acessos, seguido pelos bancos de germoplasma do USDA com quase 18.000 amostras e o Instituto Leibniz para Genética Vegetal e Pesquisa em Plantas Cultivadas (IPK) com mais de 10.000 amostras.

Entre as maiores culturas para alimentação, os feijões, especialmente o feijão-comum, estão entre os mais variáveis. Hábito de crescimento, tamanho, cor e formato da semente, dias até a maturação e outros fatores variam de acordo com a variedade. Há também diversidade não aparente , não somente na resistência a doenças e pragas, mas também no valor nutricional das sementes. Centros do CGIAR, principalmente o CIAT, têm sido cruciais no melhoramento de feijões, tornando-os mais produtivos e nutritivos, beneficiando milhões de lares.

 

Informações gerais

Tamanho das coleções de bancos de germoplasma

Outros nomes aceitáveis